<< Voltar
Artigo Jornal Correio: “O LoL e os pós-millennials”

Artigo Jornal Correio: “O LoL e os pós-millennials”

Nascidos entre os anos 90 e 2000, a chamada geração Z ou pós-millennials já chegaram conectados e estão entrando no mercado de trabalho. Eles são nativos digitais e enxergam os seus dispositivos eletrônicos como uma ferramenta para dar eficiência às tarefas diárias, fazendo do seu smartphone o centro do mundo. Pensando no aproveitamento do potencial dessa geração, empresas estão utilizando novas estratégias. Agora é o mercado de trabalho que tenta se adaptar a essa mão de obra que surge com características próprias, adotando uma nova linguagem de comunicação e precisando de autonomia e responsabilidade em iguais proporções.

Trata-se de uma geração que nasceu acompanhando a evolução digital, como a massificação da internet, o que propiciou infinitas possibilidades, inclusive, a de jogos eletrônicos, ou eSports. Quem antes jogava sozinho de suas casas viu surgir competições online, podendo jogar e competir com pessoas de todo o mundo. Esse movimento cresceu de forma silenciosa, ganhou força e hoje é uma realidade. Os eSports estão cada vez mais organizados e, embora bem profissionalizados, ainda não há no Brasil um reconhecimento oficial dessa modalidade, mesmo o Brasil figurando em terceiro lugar de audiência, atrás apenas da China e dos Estados Unidos.

A regulamentação dos eSports como prática esportiva representa a inserção dessa geração em um novo setor profissional ainda pouco entendido e aceito entre os mais tradicionais, mas que traduz a forma como as pessoas começam a se relacionar entre si e com a tecnologia. Essas mudanças refletem as características trazidas pela Indústria 4.0 e seus desdobramentos, também conhecida como a 4ª Revolução Industrial. Acompanhando essa tendência, inúmeras universidades americanas oferecem cursos sobre designs de jogos. No Brasil, cursos de graduação voltados para o desenvolvimento de games já são encontrados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

O LoL (League of Legends) é o título que mais se destaca entre os eSports. Completando, agora 10 anos, o jogo coleciona recordes. Apenas no último mês de setembro, foi a produção para computador mais jogada no mundo, registrando 100 milhões de usuários online, segundo a Riot, desenvolvedora do jogo. No Brasil, a principal comemoração ao aniversário do LoL será realizada em São Paulo, com jogadores profissionais e streamers, lançando novos produtos.

É pela importância e o crescente aumento de popularidade dos esportes eletrônicos que apresentei um projeto de lei na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) propondo a regulamentação dessa atividade no estado da Bahia, como já ocorre em outros países do mundo. A proposta tem como objetivo regularizar essa prática como desporto não formal, haja vista as frequentes e concorridas competições profissionais existentes, bem como a formação de equipes e jogadores que se dedicam exclusivamente a esses esportes.

Essa modalidade vem movimentado a economia, o que tem garantido espaço na mídia televisiva, com expressiva audiência de público e ibope. O faturamento deste setor atingiu 1,5 bilhão de dólares em 2018 no Brasil, sendo líder na América Latina. Por todos esses motivos, percebe-se que os amantes desse esporte precisam estar conscientes da abrangência de suas potencialidades e do quanto serão demandados por este novo mercado de trabalho.

 

 

Paulo Câmara

Deputado estadual